Diagnóstico e Saúde

15-Outubro-2016 Hora 09:06   Jejum para perfil lipídico passa a ter regras mais flexíveis.

 

 

O Laboratório Médico Dra. Tânia divulga, de acordo com a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial e as Sociedades Brasileiras de Cardiologia (SBC) e de Análises Clínicas (SBAC), as novas regras sobre o tempo de jejum para realização de perfil lipídico (colesterol, HDL-c, LDL-c e triglicérides). As 12 horas de jejum já não são mais obrigatórias e a coleta do perfil lipídico poderá ser realizada independentemente do tempo em que o paciente alimentou-se pela última vez.

 

Dessa forma, o médico que solicitar o exame poderá estabelecer o tempo de jejum do seu paciente. Porém, as três sociedades científicas alertam que existem situações clínicas específicas em que as concentrações de triglicérides são extremamente elevadas. Se o paciente apresentar triglicérides acima de 440 mg/dL, o médico deve informá-lo que ele precisa manter jejum de 12 horas antes da coleta.

 

A nova diretriz deve ser publicada até o final do ano, e, em janeiro de 2017, deve ser divulgado um documento preparado em conjunto pelas três instituições e também pelas Sociedades Brasileiras de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e de Diabetes (SBD).

 

Leia a seguir o documento inicial sobre o fim do jejum para o perfil lipídico, elaborado na reunião entre SBPC/ML, SBC e SBAC:

 

As Sociedades Brasileiras de Cardiologia, Patologia Clínica/Medicina Laboratorial e Análises Clínicas vêm, por meio deste informe, flexibilizar o tempo de jejum para a realização do perfil lipídico (colesterol, HDL-c, LDL-c e triglicérides). As 12 horas de jejum já não são mais obrigatórias. Os laboratórios poderão realizar a coleta do perfil lipídico independente do tempo de jejum. O médico solicitante poderá acordar com o seu paciente o tempo de jejum a ser realizado.

 

Em certas situações clínicas específicas em que as concentrações de triglicérides são extremamente elevadas, pode existir a necessidade do jejum. Caso o paciente apresente triglicerídeos acima de 440 mg/dL, o médico poderá solicitar a coleta para o paciente em vigência das 12 horas de jejum.

 

A interpretação do resultado do perfil lipídico do paciente deve ser feita com critério pelo médico solicitante, avaliando: o estado metabólico, a indicação do teste e a estratificação de risco.

 

O jejum já não era necessário para a realização do colesterol total e do HDL-c, com as evidências de que a hipertrigliceridemia no estado pós-prandial aumenta o risco cardiovascular — o exame deve refletir o estado metabólico habitual do paciente. O ideal é que o paciente mantenha sua dieta e hábitos para a avaliação do seu perfil lipídico.

 

Com os avanços tecnológicos na medicina laboratorial os principais ensaios disponíveis no mercado diagnóstico mitigaram os interferentes decorrentes de uma maior turbidez nas amostras decorrentes de elevadas concentrações de triglicérides.

 

Para a utilização da glicemia como critério diagnóstico de diabetes o tempo de jejum preconizado permanece de 8 horas. Vale ressaltar que o exame da hemoglobina glicada também é critério diagnóstico de Diabetes, e o jejum não é necessário.

 

Os laboratórios poderão informar no laudo o tempo de jejum para as seguintes situações: sem jejum, 8 horas (para diagnóstico de Diabetes) ou 12 horas, caso o paciente tenha triglicerídeos acima de 440 mg/dL. Para os demais exames laboratoriais as recomendações continuam de acordo com o procedimento de cada laboratório.

POSTADAS ANTERIORMENTE

Veja Mais

Sky Brasil comunicação e marketing - Todos direitos reservados