Diagnóstico e Saúde

3-Setembro-2016 Hora 08:14   Necessidade de Jejum para coleta de sangue para a realização de exames laboratoriais

 

 

 

A Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial – SBPC/ML, sociedade médica que congrega os médicos especialistas e profissionais que atuam na realização de exames laboratoriais, vem a público para divulgar seu parecer referente à questão do jejum para coleta de sangue para realização de exames laboratoriais.

 

Tema de ampla discussão no setor, a necessidade de jejum antes da realização dos exames laboratoriais tem sido questionada recentemente, especialmente quanto ao seu impacto nos resultados dos exames laboratoriais e na segurança do paciente. A necessidade do jejum decorre do fato de os valores de referência dos testes terem sido estabelecidos em indivíduos nessa condição. A refeição pode alterar a composição sanguínea momentaneamente sendo que, sem o pré-requisito, cada exame teria de ser analisado à luz do que a pessoa ingeriu. O período de jejum habitual para a coleta de sangue de rotina é de 8 horas, podendo ser reduzido a 4 horas para a maioria dos exames. Entende-se por jejum o tempo no qual uma pessoa não recebe nenhum aporte calórico.

 

Até o presente momento, o jejum é uma exigência formal para a coleta do perfil lipídico e para o exame de glicose no sangue para o diagnóstico do diabetes, sendo 12 horas de jejum para o perfil lipídico e 8 horas para dosagem de glicose. Na análise do perfil lipídico do paciente para avaliação de risco cardiovascular, o jejum é recomendado devido às variações dos níveis de triglicérides, após as refeições. Os valores de referência utilizados para estes analitos e as avaliações de risco de doenças cardiovasculares foram obtidos através de estudos realizados nestas condições de jejum.

 

Estudos recentes para avaliação da influência do jejum na dosagem do perfil lipídico para avaliação do risco cardíaco, demonstraram que é possível fazer esta avaliação em amostras de pacientes sem jejum, com as vantagens de refletir melhor as condições fisiológicas do dia a dia e evitar o desconforto e possíveis complicações do jejum prolongado.

 

Um consenso europeu para definição de valores de risco cardíaco para dosagem de lipídeos demonstrou que as variações entre as dosagens com e sem jejum apresentaram pequenas diferenças, as quais poderiam ser corrigidas através da definição de novos valores referenciais. A dosagem com jejum prolongado seria necessária somente quando o nível de triglicérides, fora do estado de jejum, estiver acima de 440 mg/dL. Atabela (clique para abrir) descreve as recomendações para coleta do perfil lipídico com e sem jejum.

 

A SBPC/ML entende que a questão acerca da necessidade ou não do jejum para coleta do perfil lipídico ainda se encontra em fase de discussão. O consenso deverá ser revisado nos próximos documentos de diretrizes elaborados pelas Sociedades Médicas de Especialidades. A divulgação universal prévia deste novo conhecimento se faz necessária para a classe médica e também para a população, de forma a consolidar estes novos conceitos e garantir um diagnóstico e tratamento eficiente e seguro.

 

Bibliografia:
1. Nordestgaard BG et al. Fasting is not routinely required for determination of a lipid profile: clinical and laboratory implications including flagging at desirable concentration cut-points — a joint consensus statement from the European Atherosclerosis Society and European Federation of Clinical Chemistry and Laboratory Medicine. Eur Heart J 2016

2. Recomendações da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial (SBPC/ML): Coleta e Preparo da Amostra Biológica. 2014. Disponível em: http://www.sbpc.org.br/?C=2235 www.sbpc.org.br

POSTADAS ANTERIORMENTE

Veja Mais

Sky Brasil comunicação e marketing - Todos direitos reservados